Útero guarda energia sexual de seus parceiros sexuais

Útero guarda energia sexual de seus parceiros sexuais

Cada vez que uma mulher tem relação sexual com alguém, os “germes energéticos” dessa pessoa ficam depositados em seu útero e vagina.  Esses fragmentos energéticos transitam na vagina e transmigram para o ventre no momento do orgasmo – seja nosso ou da pessoa parceira.

Em outras palavras, isso significa que a energia das pessoas com as quais você se relaciona sexualmente passam a “habitar” em você – e isso te transforma. 

Essa energia é chamada de “miasma”, que nada mais é do que um fluido energético, que fica concentrado no campo áurico e nas memórias celulares do útero da mulher. Como estamos falando de um fluido energético, isso não é cortado pelo uso da camisinha e também acontece no sexo sem penetração (como aquele entre duas mulheres, por exemplo). Algumas mulheres até chegam a sentir o seu cheiro genital mudar a cada pessoa que acessa sua intimidade. 

Por exemplo, digamos que uma mulher que está emocionalmente frágil tem relação com um homem que está passando por um momento cheio de conflitos internos. É comum que, logo após o sexo, ela também sinta-se sem energia, confusa ou angustiada. Isso acontece por conta dos miasmas que foram “depositados” por este parceiro em seu útero e vagina. 

Você não consegue esquecer o(a) ex porque ele(a) mora no seu útero

E essa é a razão pela qual muitas mulheres não conseguem esquecer um(a) ex ou têm recaídas com a pessoa. Então, mesmo que racionalmente a mulher não queira mais ficar com esse alguém, ela acaba “chamando-o” de volta para sua vida, do ponto de vista energético. Muitas vezes ela acha que está apaixonada, carente ou necessitada do outro, mas na verdade é apenas a energia dele que está nela e que o atrai novamente ou faz a mulher sentir sua falta. 

Algo que também acontece neste sentido é que, ao ter relação sexual com alguém, você acumula não só as energias do outro, como de todas as pessoas com as quais seu par se relacionou sexualmente. Isso acontece, por exemplo, quando se tem relação sexual com muitas pessoas em um espaço curto de tempo.

Há muitos relatos de pacientes que passam por alguns conflitos de identidade, pensamentos e emoções depois dessas situações, pelo fato de existir  o registro de muita gente se misturando ao seu. O mesmo acontece quando existe uma traição. Neste caso, a pessoa que trai leva a energia do amante para seu cônjuge, sobrecarregando seu marido ou esposa com os miasmas do outro. 

E quando carregamos os “miasmas” de outras pessoas, podemos, inconscientemente, assumir as crenças limitantes do outro, o que gera mais travas na nossa vida e sentimentos de confusão, prejudicando as relações que estabelecemos com as próximas pessoas que conhecemos. Com isso, vamos acumulando problemas no amor, no sexo ou no comportamento e pensamentos de forma geral.

Claro que com isso não estou dizendo que uma mulher deve deixar de ser livre sexualmente. Mas sim que é preciso ter consciência desta tendência e aprender a se cuidar devidamente. No final deste texto ensino uma dica prática para se limpar energeticamente depois de fazer amor. 

De onde veio esta teoria?

Esta teoria dos miasmas energéticos, apesar de pouquíssimo divulgada, existe há milênios e conseguimos encontrá-la na mitologia grega, como no mito de Afrodite, que diz:

Nas águas de uma cachoeira eu vou me banhar, para que possa me entregar por inteira para o novo amor que há de chegar. 

O que ela queria dizer é que precisava se limpar das energias de outros homens, caso contrário, o amor não chegaria na sua vida. Afinal, esta nova pessoa não a teria por inteira, enquanto existissem energias alheias que a impediam de ser ela mesma e bloqueavam sua vida. 

Há diversas teorias sobre o tempo que esses “miasmas” ficam concentrados em nosso útero e canal vaginal, depois de uma relação sexual. Alguns dizem que a energia alheia fica presente durante 6 meses, outros que dura 1 ano e há aqueles que trabalham com a teoria de que os miasmas se mantêm cerca de 7 anos alojados na mulher.

O que a ciência fala sobre miasmas?

Apesar de ainda haver um atraso enorme do ponto de vista científico sobre sexualidade feminina, a ciência já começou a trazer alguns relatos sobre este assunto, mesmo que de forma pouco profunda. Em um dos experimentos neste sentido, feito no Canadá, colocaram um homem e uma mulher que se relacionavam sexualmente em salas separadas, monitorados com eletrodos cerebrais. Para apenas um deles foram mostradas cenas visuais específicas, que desencadeavam determinadas emoções, assim como toques pelo corpo. Os estudiosos observaram que o cérebro da pessoa que estava na outra sala ativava os mesmos estímulos que seu parceiro, mesmo que essa pessoa não estivesse vendo as cenas mostradas ao outro. 

Sempre tento trazer para o meu trabalho conhecimentos que foram olhados de perto pela ciência ou começaram a receber uma atenção maior por parte do meio acadêmico. No entanto, existem algumas explicações que fogem desta ordem, como esta dos miasmas energéticos. Mas reforço que este tipo de conclusão é baseado em minha prática clínica de mais de 10 anos, tendo atendido mais de 7 mil mulheres. Portanto, apesar de não poder falar que existe uma prova científica para isso, posso afirmar o que vi e constatei ao longo dos meus anos de profissão. 

Como se limpar da energia alheia pós-sexo?

Toda mulher deveria se limpar energeticamente a cada relação que tiver, para não acumular esses miasmas. A forma mais completa e eficaz de fazer isso é por meio de uma terapia milenar, chamada Reconsagração do Ventre, cujo trabalho é direcionado para ajudar o corpo a eliminar esses fluidos energéticos.

A Reconsagração é feita em uma única vivência. Neste método, realizamos práticas de pompoarismo e respiração, para melhorar sua saúde genital e também “puxar” as memórias instaladas no seu útero e vagina. Além disso, em outros momentos a mulher é conduzida em exercícios meditativos.

O útero reage à Reconsagração e começa a se contrair para expulsar as memórias. O processo é tão forte que a maioria das mulheres sente cólicas durante a vivência, por conta das contrações de expulsão.

Na minha opinião, toda mulher precisa fazer a Reconsagração pelo menos uma vez na vida. O momento ideal costuma ser na menstruação, pois assim potencializa a sua limpeza natural. Contudo, pode-se fazer em qualquer fase do ciclo.

No entanto, apesar da Reconsagração do Ventre ser o método mais eficaz, também é possível fazer uso de uma Yoni Egg, depois da relação sexual. Vale reforçar que a Yoni Egg Terapia também é um método milenar, que consiste em introduzir pedras em formato oval (Yoni Eggs) no canal vaginal

Quais Yoni Eggs podem limpar energeticamente os miasmas?

As pedras mais indicadas para limpar as energias sexuais de terceiros são:

Obsidiana

obsidiana

Esta Yoni Egg trabalha o Chakra Básico (localizado na base da coluna, na região do cóccix), tratando bloqueios sexuais e processos de abusos, traumas e mágoas (seja dos pais, de ex relacionamentos ou na própria maternidade). Ela ensina o desapego no amor quando preciso e trabalha esse “deixar ir” com ternura e sabedoria. Além disso, expulsa a energia sexual de parceiros, que fica instalada no seu canal vaginal e útero.

+ Obsidiana é uma pedra “assassina”. Clique aqui e entenda melhor.

Ágata de fogo

Ágata de fogo

Esta Yoni Egg é ideal para expulsar todo tipo de medo e fragilidades. Ao fazer isso, a mulher aumenta seu poder de ação na vida, o que também tem um reflexo direto na melhora da libido, que nada mais é do que o impulso que nos mantém vivas. É uma pedra que aprimora a energia sexual, pois limpa o excesso de miasmas que você vem acumulando de relações passadas. Consequentemente, sua vida amorosa tende a fluir, já que isso a ajuda a desapegar de quem não acrescenta mais nada em sua vida, aproximando-a de sua real essência.

+ Ágata de Fogo evita ilusões amorosas e protege saúde do útero

Deixe um comentário

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *