Manual da endometriose: causas, sintomas e tratamento

Manual da endometriose: causas, sintomas e tratamento

A endometriose é um distúrbio no qual o tecido que reveste o útero começa a nascer fora deste órgão. Isto normalmente acontece por causa de uma outra disfunção, chamada “menstruação reversa”. 

O que é menstruação reversa?

A grosso modo, menstruação reversa é quando o útero não tem capacidade de eliminar todo o sangue menstrual de uma vez. É como se este órgão estivesse cheio e transbordando. Assim, a entrada da tuba uterina, lá no alto, começa a receber o sangue desse útero cheio. Isso não deveria acontecer, mas o útero está sem capacidade de conseguir eliminar tanto sangue. 

O que acontece, então, é que esse sangue que entra nas trompas uterinas, extravasa para o interstício, ou seja, fora do útero. Então, as células começam a formar um tecido endometrial na cavidade uterina. 

Isso também ocasiona infertilidade ou grande dificuldade em engravidar.  

Sintomas mais comuns da endometriose

  • Dismenorreia (dor uterina antes, durante ou após a menstruação)
  • Cólicas muito intensas
  • Dor na relação sexual
  • Infertilidade 
  • Distúrbios do sono
  • Quando atinge o intestino, gera constipação e dor ao evacuar, algumas vezes com sangue
  • Se há lesões na bexiga, causa dor ao urinar e infecções de urina, também algumas vezes com sangue. 

Como avaliar se você tem endometriose ou grau da doença?

O médico ginecologista solicita ultrassom, ressonância magnética, eco-colonoscopia, exame laboratorial de Ca-l25, biópsia endometrial e videolaparoscopia. Assim, é feito o diagnóstico.

Quais fatores contribuem para o surgimento da endometriose?

  • Menstruação reversa 
  • Alterações imunológicas (quando o organismo não consegue eliminar o sangue que extravasou para fora do útero)
  • Alterações endometriais, que aumentam a produção de vasos e da enzima matriz – metaloproteinases e integrinas. Isso faz com que este tecido tenha maior facilidade em se aderir quando chega à região pélvica.
  • Fatores ambientais, como poluentes de grandes metrópoles, como a dioxina – molécula poluente no ar, extremamente tóxica que ajuda a causar alterações no corpo. 

Diferença entre endometriose e adenomiose 

A adenominose também se caracteriza pela presença de células endometriais formadas fora da cavidade uterina. Mas, neste caso, é na própria musculatura do útero, com o mesmo quadro que a endometriose.

Endometriose também exige tratamento emocional

Apesar da endometriose ser uma doença e, por isso, exigir tratamento e acompanhamento médico, também existe uma causa emocional por trás deste distúrbio. Ou seja, por qual motivo o útero acaba produzindo tanto sangue, a ponto de não dar conta?.

Segundo a metafísica, a explicação para isso é que está havendo uma demanda de limpeza emocional muito grande.

Afinal, a menstruação é símbolo da saúde da mulher, é o indício que seu corpo está fértil e funcionando bem. O ciclo menstrual é o mais falante do corpo, ele nos mostra tudo o que nos afeta e está profundamente escondido em nós.

Todas as memórias emocionais de nossa vida ficam guardadas para sempre no útero e no canal vaginal, até serem limpas. Então, quando acumulamos muitos registros negativos nestes órgãos, o fluxo menstrual fica maior, como forma do corpo tentar se autocurar de toda dor guardada.

Endometriose

+ Descubra aqui os principais comportamentos e emoções que facilitam o surgimento da endometriose

Autotratamento emocional da endometriose

A verdade é que enquanto esta mulher não cuidar paralelamente das causas emocionais atreladas à doença, a tendência é que nunca consiga se reabilitar.

Nesta matéria eu ensino dicas de autotratamento emocional e revelo quais comportamentos interrompem o ciclo da endometriose. Além disso, também ofereço uma Meditação guiada, que ajuda você a descobrir quais sentimentos ou posturas estão facilitando o surgimento da endometriose em sua vida.

Reconsagração do Ventre: limpeza uterina reabilita emoções que dão origem a doenças

Segundo a metafísica, o útero guarda todas as memórias celulares de experiências vividas por uma mulher. Portanto, ao vivermos alguma mágoa, medo, trauma, repressão ou dificuldade, tudo isso também fica instalado e estagnado para sempre em nosso útero e canal vaginal, até ser limpo. 

Quando você não faz nada a respeito, essas feridas vão ficando mais fortes e emanam sinais neurais para o cérebro, aumentando seus medos, bloqueios e dificuldades. Assim, seu corpo começa a tentar lhe despertar para que solucione o problema.

E a forma como faz isso é por meio de doenças ou problemas emocionais e sexuais. Então, você começa a apresentar distúrbios como: menstruação desregulada, baixa libido, dificuldade para atrair um amor ou manter relações saudáveis, traições e, claro, os agravamentos do útero propriamente dito, como a endometriose, por exemplo.

Portanto, o primeiro passo para a reabilitação da endometriose é a mulher se submeter a uma técnica de limpeza uterina, chamada “Reconsagração do Ventre”. Fui pioneira em trazê-la para o Brasil e, com ela, ajudar mulheres a limparem energeticamente as memórias concentradas no útero e no canal vaginal.

Reconsagração do Ventre

Neste tipo de método, a mulher ativa o corpo para se libertar de bloqueios sexuais, problemas amorosos e doenças íntimas. Ela ressignifica os traumas e as crenças limitantes que impedem a pessoa de usufruir seu potencial.

Vale reforçar que no caso de doenças,como a endometriose, é indispensável um acompanhamento médico especializado, em paralelo à Reconsagração.

No entanto, enquanto a mulher não curar também essas emoções que estão alojadas em seu útero e canal vaginal, a tendência é que ela não consiga resolver o problema. O objetivo da Reconsagração é justamente limpar as memórias negativas, quebrando o ciclo desses registros celulares e contribuindo para uma libertação na cama e, consequentemente, melhor proveito da sexualidade.

+ Quero conhecer a Reconsagração do Ventre e começar a reabilitar as memórias que estão em meu útero.

Deixe um comentário

1 Comentário

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *